• denuncias
  • peticionamento
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
    • outubrorosaban
    • redacao banner
    • campomourao banner
    • Outubro Rosa no MPT
    • MPT-PR realiza concurso de redação sobre trabalho infantil
    • Ministério Público do Trabalho no Paraná inaugura sede própria em Campo Mourão

    BRF Foods é condenada a pagar R$ 800 mil por desrespeitar jornada de trabalho

    A empresa BRF Foods S.A. foi condenada por ter submetido seus empregados a jornada de trabalho superior ao limite diário de dez horas, além de não respeitar o intervalo mínimo de onze horas entre duas jornadas. O acórdão, da 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), decorre de uma ação proposta pelo Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) em 11 de junho de 2013.

    MPT-PR realiza palestra sobre os impactos da nanotecnologia na saúde dos trabalhadores

    No dia 17 de outubro acontece, no auditório da sede do Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR), uma palestra sobre os impactos da nanotecnologia na saúde dos trabalhadores e no meio ambiente. O evento é parte do Fórum de Proteção ao Meio Ambiente do Trabalho do Estado do Paraná (FPMAT), em parceria com a Fundacentro, que se reúne mensalmente para discutir estratégias de adequação do meio ambiente de trabalho tendo em vista a saúde e segurança dos trabalhadores. A reunião começa às 14h.

    Governo do Paraná é condenado por terceirização ilícita de médicos em hospital público

    No último dia 3, a Justiça do Trabalho julgou procedente o pedido do Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) contra o Estado do Paraná - Hospital Regional do Sudoeste Walter Pecoits, localizado em Francisco Beltrão. O Hospital pertence ao Governo do Estado do Paraná e estava terceirizando ilicitamente, sem prévia submissão e aprovação em concurso público, a prestação de serviços na área da saúde. "A atitude do hospital viola os direitos e os interesses de cidadãos, privando-os de integrar os quadros da administração pública direta", afirma a procuradora do trabalho responsável pelo caso, Priscila Dibi Schvarcz. O hospital não contava com nenhum médico servidor público no pronto atendimento, sendo todo o setor atendido por pessoas jurídicas.

    Empresa de Pato Branco é condenada por não fazer repasse de contribuições previdenciárias e não quitar verbas rescisórias de empregados

    Curitiba - A empresa Plásticos Gralha Azul Ltda., que, atualmente, se chama Reciclados Grandes Lagos Máquinas e Polímeros Ltda, foi condenada pela falta de repasse, ao INSS, das contribuições previdenciárias descontadas mensalmente dos salários dos empregados e por não quitar no prazo legal as verbas rescisórias decorrentes da extinção da relação de emprego. A sentença foi proferida no dia 26 de setembro, decorrente de ação civil pública do Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) em Pato Branco.

    • banner pcdlegal
    • banner corrupcao
    • banner mptambiental
    • banner estagio
    • banner radio
    • banner trabalholegal
    • banner transparencia